segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

10 Coisas que toda a gente quer... menos eu!

Olá pessoal,

Eu sei que ando sumida, mas finalmente recomeço a ter tempo para o blog.

Hoje trago-vos um post um pouco diferente do habitual. Nos últimos dias dei por mim a pensar na quantidade absurda de coisas que vou vendo que amigos, familiares, até mesmo o pessoal aqui na blogosfera quer ou adoraria ter/fazer e que eu, no entanto, nunca quis. Vamos começar?

IPhone
Não interessa se é o 7 o 8 o X ou o Y. Nunca esteve na minha lista de desejos. Não digo que não seja um excelente telemóvel com montes de funcionalidades e afins mas sempre achei o preço um exagero tendo em conta a utilização que lhe dou. Gosto de ecrãs grandes e basicamente é a minha única regra. Posso esbanjar dinheiro em coisas que nem têm grande utilidade, mas telemóveis não. Pensei e repensei os quase 200€ que paguei pelo meu, a ideia de comprar um mais caro que isso é, para mim, impensável por uma questão de bom-senso. Para mim não teria qualquer utilidade. 

Viagens às Maldivas (Ou qualquer outro destino tropical) 
Epá... não! Não é segredo nenhum que a minha paciência para destinos de praia é pouca. Sempre foi. Lembro-me que desde pequena a minha mãe tinha a mania de ir passar 1 ou 2 semanas em Julho para o Algarve e variava o destino entre Cabanas de Tavira e Vilamoura. Aquilo para mim era um inferno. O ter de ir com ela para a praia era o pior dos castigos e a minha parte favorita era o regresso. Eu até gosto de praia... nas primeiras 2h e se passar 1h50m na água. Mas mais do que isso não. Por isso a ideia de ir para um desses destinos tropicais em que se passa o tempo todo na praia ou na piscina, onde reinam mosquitos beber água é uma aventura que nunca sabemos se nos leva ao hospital... Não!!!!



Carro
Esta é a grande luta da minha vida! Aos 30 anos não tenho carta de condução nem nunca tive a menor vontade de a tirar, apesar de até ter tido vários membros da família a querer oferece-la e, a certo ponto, até ter mesmo um carro novo na garagem que ninguém usava. Eu e os carros não nos entendemos e pronto. Felizmente vivo no centro da cidade, com montes de transportes à porta e nunca tive a menor necessidade de ter carro. E eu sei que agora já há alternativas e tal, mas... os carros no geral têm 3 pedais e eu só tenho 2 pés. Existem autocarros, metros, aviões, comboios, taxis, ubers, cabify's e sabe-se lá mais o quê. Não quero nem preciso de carro para nada. A menos que venha com o Ambrósio. 

Playstation
Quem diz essa, diz outra consola de jogos qualquer. Nunca me entusiasmou em nada. Lembro-me que desde pequena tinha amigos e até amigas que viviam agarrados a isto e sempre me tentaram converter ao mundo dos jogos. Nunca percebi o interesse e por mais que tentasse ao fim de 10 minutos estava entediada. 
Casa com vista para o mar
Ok, quem ler isto vai ficar a pensar que detesto praia e mar. Não é o caso. Até gosto de ir passear à praia e dar os meus mergulhos. Mas morar em praticamente em cima da areia??? É que nem pensar! E pelos vistos é de família. Quando era pequena os meus avós decidiram comprar uma casa na praia para que todos os filhos a pudessem usar nas férias. Eu tinha no máximo uns 5 anos e lembro-me até hoje das palavras da minha avó quando o meu avô tentou comprar um apartamento na rua em frente à praia com uma linda vista para o areal: “Ó Guilherme, tu estás maluco? Isto no Inverno, ainda aqui chega o mar!” E pronto, compraram a casa na última rua lá do sítio, o mais longe possível da praia. Na verdade tenho mais medo que me entrasse algum caranguejo pela janela, do que lá chegasse o mar. Mas concordo até hoje com a decisão da minha avó. 


Relógios Swatch
Sinceramente nem sei se ainda existe esta febre, mas tive a infelicidade de atravessar toda a minha adolescência durante esta moda. Não interpretem mal, por favor, a marca até tem coisas engraçadas, mas a moda da altura eram aqueles relógios em plástico de linhas direitas, sem qualquer ornamento, com uns padrões que sempre achei infantis demais (até quando tinha idade para padrões infantis!). E, pior de tudo!! É que tudo isto é uma questão de gosto e aí cada um sabe do seu. Mas a coisa me mais me irritava nestes bichinhos era o barulho que faziam! Se há coisa que não suporto são relógios que se ouça o 'tic-tac' e estes ouviam-se de noite até fechados dentro de uma gaveta!!! (Sim, eu sei que tenho ouvidos de tísica!!!) 



Viagem à Disney
Eu devo ter sido a única criança no Hemisfério Norte, quiçá no planeta, que nunca quis ir à Disney! Cresci a ver filmes da Disney, devo saber as falas de pelo menos 3 ou 4 filmes do princípio ao fim, era obcecada com o Melody Time, ainda hoje dou por mim a cantarolar o Hakuna Matata e Quantas Cores o Vento tem, chorava baba e ranho a ver o Bambi e a adoração pelos Aristogatos era tanta que uma vez apanhei uma gatinha branca na rua, levei-a para casa e chamei-lhe Duquesa. Posto isto, era de esperar que tivesse passado a infância toda a implorar que me levassem à Disney, certo? Errado! Não queria nem ouvir falar do assunto! Depois de abrir a Disney em Paris, a minha mãe chegou a perguntar-me várias vezes se não gostava de lá ir. A minha resposta foi sempre “NÃO!” Qual o motivo? Não sei, nunca me fascinou. Se calhar até iria lá mais facilmente agora depois de adulta do que em criança. E continua sem estar nos meus planos!



Casar e ter filhos 
Desde que me lembro, sempre disse que não iria casar e muito menos ter filhos. Eu sei que isto pode parecer frio da minha parte e se calhar até é, mas é uma das poucas constantes na minha vida, algo que nunca mudou. Acho que todas as meninas, desde muito pequenas sonham com o Principe Encantado (aquele da Disney!), com o vestido e o dia do casamento e brincam com as bonecas a fingir que são os filhos. O meu pensamento desde muito pequena: Aturar o mesmo homem para o resto da vida? Nem pensar! Filhos? Nem adotados!” Ok, se calhar já não estou tão radical em relação a aturar o homem. Mas ele tem de ter consciência que casar não caso nunca e filhos é coisa que comigo não há de ter. O que é certo é que teria ainda uns 15 ou 16 anos e assinei dois guardanapos a dizer que não me casaria nunca e dei-os a duas amigas. Não sei se ainda existem, mas a promessa mantém-se! 


Bimby  
É verdade, a famosa maquineta não me atrai em nada. Apesar de não cozinhar tanto quanto gostaria, a realidade é que adoro ir para a cozinha e começar a inventar. Ou pegar numa receita e alterá-la a tal ponto que quando termino já nada tem a ver com a original. E ir provando e acrescentando isto ou aquilo, gosto de coisas bastante espontâneas e posso estar muito errada mas acho que a Bimby não dá grande aso a isso. Quem diz esta, diz qualquer uma outra marca, aliás. A mim não me seduzem. 

  
Pacotes de TV com centenas de canais 
Ora então vamos lá raciocinar. O dia tem 24 horas, das quais se passa, teoricamente, 8 horas a dormir, 8 horas a trabalhar (no mínimo!), 2 horas de refeição, 1hora no transito para ir e voltar do trabalho, fora o tempo que se gasta a fazer tarefas domésticas, passear os cães, sair com os amigos, ir às compras, falar com os familiares em casa, etc, etc... isto deve dar no máximo (dos máximos!!!) 2 horas disponíveis para ver televisão. Ora agora expliquem-me como é que, com 2 horas se consegue ver os quase 200 canais que nos tentam impingir??? É que mesmo que me fique por pacotes de 100 canais, precisaria de mais de 8 horas diárias à frente da televisão para ver apenas 5 minutos de cada canal. Onde é que eu tenho 8 horas para ver televisão??? Agora expliquem-me para que raio preciso eu de 100 ou 200 canais??? (Pequena nota: Não me lembro da última vez que liguei a TV!) 


Desta vez fico-me apenas por uma lista de 10, mas não me surpreenderia muito se este post ganhasse uma Parte 2 muito em breve, porque a lista é extensa.
E vocês? Que tipo de coisas é que nunca quiseram apesar de ser moda, toda a gente ter ou ser o esperado? Contem-me tudo nos comentários. 

Beijinhos e até ao próximo post!


Todas as fotos deste post foram retiradas do Google

sábado, 7 de outubro de 2017

News Update!!!



Ola gente!
Ainda se lembram de mim?
Pois é, tenho andado desaparecida aqui do blog e infelizmente não pelos melhores motivos. A minha avó tem estado doente já há uns meses e como tal, tem sido a prioridade da família toda, o que deixa muito pouco tempo e energias para qualquer outra atividade, incluindo o blog.
No entanto, aos poucos vou tentar ir regressando com novos posts, mesmo que não tão frequentes quanto gostaria, porque a verdade é que tenho imensas saudades deste espaço e de cada um dos blogs que habitualmente sigo.

domingo, 9 de julho de 2017

// ACMA // - Receita de Sangria de Frutos Vermelhos

Não sei se já conhecem o grupo ACMA – A Cultura Mora Aqui, mas é um projeto giríssimo para blogs que de alguma forma queiram deixar um pouco de lado os temas ditos mais “fúteis” de moda, beleza, etc e fazer um post de cultura pelo menos de 2 em 2 meses.
Desta vez o tema é Festas, Festejos e Festividades e é nos dada total liberdade para escolha do assunto, sendo a única regra não falar de moda ou beleza.

Ora assim sendo, e tendo em conta que este é o meu primeiro post para o ACMA, resolvi começar com qualquer coisa simples. Trago uma receita de algo que nunca falta nas minhas festas e que é tão típico aqui pela península Ibérica. A Sangria!


Claro que a Sangria é quase como o Bacalhau, há 1001 maneiras de ser feita, com todo o tipo de frutas e todo o tipo de mistura de bebidas. E a minha vai mesmo variando a fruta conforme a época do ano. Agora de verão gosto de algo direcionado para os frutos vermelhos.

Ingredientes para um jarro de 2l:


1 garrafa de vinho tinto (por norma uso Alentejano, mas podem usar qualquer um)
1 garrafa (25 cl) de cidra de frutos vermelhos
1 copo pequeno de vinho do porto
2 colheres de sopa de açúcar amarelo (ou mais se usarem fruta mais ácida)
Casca de ¼ de limão
¼ de Maçã
¼ de Pera
¼ de Laranja
¼ de Pêssego
½ Ameixa
4 Morangos
5 Uvas
5 Cerejas
Mirtilos

Preparação:


Num jarro coloca-se o vinho tinto, a cidra e o vinho do porto bem frios. Corta-se a fruta depois de lavada em pedacinhos pequenos (nunca retiro a casca, apenas os caroços e grainhas, mas isso fica ao gosto de cada um). Junta-se a casca do limão que podem partir em pedacinhos ou em tiras maiores e o açúcar amarelo. O ideal é servir de imediato, mas caso não seja possível deve ser guardada no frigorífico até servir.
Claro que, como disse antes, podem usar praticamente todo o tipo de fruta e nas quantidades que quiserem, neste caso tento usar mais os frutos vermelhos. No caso da laranja nunca misturo com limão. Uso um em fruto e outro apenas a casca para não ficar demasiado ácido. Para quem gosta do sabor, pode-se também juntar um pouco de vodka preta e até um pau de canela.
Agora de verão é algo que nunca pode faltar nas festas e convívios de amigos, mas atenção que nada de ultrapassar um copo ou dois! Isto pode saber a um refresco doce mas tem imenso álcool.


E vocês, gostam de sangria?
Que bebidas costumam preparar para as festas?
Para saberem mais sobre o ACMA basta enviarem um email para acma.cultura@gmail.com

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Mousse de Limpeza Nivea

Olá gente!!
Este post vem com um dia ou dois de atraso, mas ontem simplesmente esqueci-me de o publicar. É a única desculpa que tenho. Ok, posso culpar o calor absurdo que tem estado. Mas mais vale tarde que nunca, por isso aqui está ele.

Quem me segue não apenas aqui no blog, mas também no Instagram (É mesmo para seguir!!) já deve ter percebido que uma das minhas marcas de supermercado favoritas é a Nivea. Além da qualidade dos produtos, tem uma variedade espantosa e isso aliado ao preço acessível, coloca-a no meu top.


Ora hoje venho falar de um produto que tenho experimentado nas últimas semanas, a Mousse de Limpeza da Nivea. Começo por dizer que não estava à procura de nada do género quando andava a passear pela secção de higiene e beleza aqui do hipermercado mais perto de casa, no entanto reparei que tinham a marca em promoção e esta menina chamou a atenção primeiro pela cor do e até pelo formato do frasco, mais ainda do que pela necessidade. Não conhecia, estava bastante barato e pensei "Porque não experimentar?"
E lá vim para casa com um frasco engraçado de uma mousse que além de limpar em profundidade, promete ainda ser refrescante e hidratar a pele, enriquecida com vitamina E e Hidra IQ, recomendada para pele normal a mista.

Ao experimentar a primeira vez andei um pouco às aranhas a pensar qual seria a forma ideal de aplicar, se em pele seca ou molhada, se seria ideal em discos de limpeza ou bolinhas de algodão (já que nem sabia inicialmente qual a consistência disto depois de sair da embalagem). Experimentei primeiro na mão e não convenceu, passei para os discos desmaquilhantes e achei que não espalhava bem na pele. Entretanto fez-se-me luz e resolvi molhar o disco antes de usar. Tcharam!!! Funcionou lindamente e a partir daí foi fácil fazer a mousse deslizar pelo rosto.


Apesar de não arder nos olhos, noto que provoca alguma sensibilidade que desaparece assim que se passa por água e acredito que a maioria das pessoas nem note nada. Por norma isso acontece-me até com produtos específicos para olhos sensíveis. Com as utilizações, fui reparando que funciona muito bem até como desmaquilhante de rosto e não apenas para limpeza de pele.

Gostei da forma como cumpre a premissa não apenas da limpeza como também da hidratação. Assim que se passo por água noto logo a pele macia, como se tivesse acabado de colocar o creme hidratante. No entanto, apesar de anunciar ser refrescante, não notei nada nesse sentido, não houve qualquer tipo de frescura além da da água, o que considero uma pena, pois teria tornado este produto perfeito.

Apesar deste detalhe, gostei imenso da mousse. Um único pump é suficiente para limpar bem o rosto e remover restos de maquilhagem mais teimosos, o que significa que rende imenso. Já comprei à mais de um mês, tenho usado quase todos os dias e ainda tem imenso.  Sem dúvida que é uma compra a repetir!


Encontra-se à venda em todos os hipermercados, vem em frascos muito práticos de 150ml com um pump muito funcional. (Tendo em conta a duração de 12 meses depois de aberto, até poderiam apostar em frascos maiores!) e destina-se a pele normal a mista. No site da Nivea divulgam ainda uma mousse para pele seca e sensível, mas nunca o encontrei à venda aqui na zona. O preço habitual ronda os 5,50€ mas encontra-se várias vezes em promoção até mesmo de 50%, que vale bem a pena.

domingo, 25 de junho de 2017

Fui aos Saldos!

Olá pessoal!

Já viram que começaram os saldos? Confesso que ainda nem me tinha lembrado disso mas na sexta-feira perdi a cabeça e foi a loucura. Hoje venho mostrar tudo.

No início da semana tinha passado aqui pelo Fórum Aveiro e reparei que já havia uma ou outra loja com saldos mas nada de especial. Entrei, dei uma olhadela e saí sem gastos a pensar “Oh, este ano nem preciso de nada.” Saldos esquecidos, na sexta-feira saí de casa para ir à Pluricosmética buscar um verniz de proteção para as unhas e reparei que agora já estavam todas as lojas com saldos. Fui entrando, vendo uma ou outra peça que até gostava e o balanço final foi: 2 vestidos, 1 casaco, 1 blusa, 2 pares de calças, 1 sabonete esfoliante, 1 manteiga de corpo e 1 corretor de olheiras. Então e o tal verniz pelo qual saí de casa? Não trouxe porque não havia. Como é que passei de “nem preciso de nada” a isto? Não sei. Mas como podem ver continuo na minha mistura de preto com preto. 


Calças de Ganga Preta Zara - 29,95€ - 19,99€
 
 Calças enceradas Zara - 29,95€ - 19,99€

 Casaco de malha Leftis - 7€ - 3€

Vestido Leftis - 10€ - 4€

Vestido Canelado Mango - 17,99€ - 7,99€

T-Shirt Tiffosi - 14,99€ - 4,99€




E pronto, foram estas as comprinhas inesperadas. Como podem ver nenhuma delas foi cara, no entanto trouxe várias coisas. E agora sim, acho que não compro mais nada nos saldos deste verão. (sendo o 'acho' a parte importante da frase!! eheheh). Caso queiram ver melhor cada uma, todas elas têm o link na legenda.

Que acham das comprinhas? 
Gostaram de alguma em especial? Detestaram alguma?
Já andaram a fazer estragos no orçamento nos saldos?

domingo, 18 de junho de 2017

Concerto dos HIM no Porto.

Olá gente!!

O post de hoje é um bocadito diferente do habitual. Mas ontem tive uma das melhores noites da minha vida e resolvi partilhar convosco.
Antes que alguém comece a pensar em perversidades, tenho de explicar que a noite foi tão importante porque foi o tão aguardado concerto dos HIM no Hard Club


Para quem não conhece, os HIM são uma banda de rock/metal finlandesa, pela qual tenho uma grande panca desde os meus 18 anos.
Felizmente posso dizer que já vi todas as minhas bandas favoritas, algumas delas diversas vezes e já fiz loucuras de percorrer vários países atrás de determinada banda *cof cof* Nightwish *cof cof*, no entanto os HIM eram a única que me faltava. Aquele cromo raro da caderneta que ainda não tinha conseguido. Até ontem. 


Quando anunciaram o concerto ainda o ano passado, mal acreditei que iria mesmo ter a oportunidade de os ver e assim que os bilhetes foram colocados à venda corri para os comprar, ou seja dia 22 de Dezembro, com 2 bilhetes na mão, tinha praticamente 6 meses de espera pela frente. Entretanto lá consegui convencer o Konigvs a ir comigo (ok, acho que fiz alguma chantagem emocional!) e tudo parecia maravilhoso até vir o valente balde de água fria. Os Him anunciam o fim da banda no final do ano. E de repente o que era suposto ser uma experiência espetacular depois de 12 anos a ansiar por tal acontecimento, torna-se quase agridoce, pois este seria o primeiro e último concerto.
Claro que depois deste anuncio, os bilhetes esgotaram por toda a Europa e pela Internet viam-se ofertas quase milionárias por um bilhete, muitas delas sem importar onde era. Por muito tentador que possa parecer, não trocaria este concerto por nada!


Ora então, lá sobrevivi os seis meses de espera e ontem lá fui eu para o Porto, tão empolgada que mal parava quieta no comboio. Cheguei passava pouco das 10 da manhã (o espetáculo começava às 9 da noite) e fomos diretos ao Hard Club, onde estariam umas 10 pessoas cá fora, debaixo de um sol de 32º. Lá fui convencida a ir dar uma volta até à ribeira e fazer tempo até os restaurantes começarem a servir os almoços. Confesso que a fome não era nenhuma, eu queria era voltar para o Hard Club, mas lá tivemos um almoço agradável, com vistas interessantes e antes da 1 da tarde estávamos de regresso. 


Desta vez tinha exatamente 30 pessoas à minha frente. Não era o cenário ideal mas ainda não era trágico. As portas tinham finalmente aberto e em vez do sol tórrido, tínhamos agora o calor do interior do Hard Club. Isso e 8 horas de espera pela frente até à entrada para a sala. 8 Horas!!! Toca a sentar e ir travando conhecimento com a vizinhança. Foram 8 horas de calor mas pelo menos a conversa ajudou e às 21h em ponto começam a deixar entrar. Conseguimos uma honrosa 3ª fila, com vista completamente desobstruída para o palco e a cerca de 2 metros do microfone onde 2 horas depois, estaria Ville Valo a cantar. Mais uma horita de muitos nervos e lá vem a banda de abertura, os Kandia, que eu desconhecia por completo, apesar de ter gostado do som e da atitude da vocalista. Foi uma atuação curta e mais meia horita de espera. 

Até que tudo se apaga e saem Linde e Mige para o centro do palco, seguidos claro pelo próprio Ville. Foi o momento da loucura. 12 anos a desejar ver a banda que finalmente estava ali à minha frente e com o vocalista tão perto. Não vale a pena entrar em detalhes mas confesso que tive os meus momentos de groupie e chegar a invejar não apenas o microfone, mas também uma toalha usada pelo senhor. Começaram com uma das músicas mais queridas, a Buried Alive by Love e seguiram-se 2 horas de músicas bem conhecidas por todos os fãs da banda, focando-se nos sucessos mais antigos. Posso dizer que há uns bons anos que não delirava tanto com um concerto. Cantei, gritei e pulei como se não houvesse amanhã. Isto num calor insuportável dentro da sala, mas consegui-me abstrair disso e do cansaço até ao fim. Fim esse que a meu ver chegou depressa demais, com um cover bem conhecido da Rebel Yell do Billy Idol. 


Apesar de terem conseguido a proeza de tocar todas as minhas músicas favoritas, claro que me soube a pouco (se tivessem tocado a noite toda continuaria a saber a pouco!). Soube a fim. Mas valeu bem os 12 anos de espera por este concerto. Valeu bem as 8 horas de espera para entrar, mais as 2 horas de espera lá dentro. Valeu a pena até as dores de garganta hoje. Foi uma noite memorável!

Alguém por aqui foi ao concerto?
Há algum a que queiram muito ir?

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Experimentei... o iogurte Skyr

Acho que já mencionei aqui que sempre que vou ao supermercado gosto de trazer um produto alimentar novo para experimentar. O que significa que pelo menos uma vez por semana vem parar qualquer coisa nova aqui à despensa (ou ao frigorífico). Alguns passam a compra habitual, outros nem por isso. Então porque não falar aqui sobre eles? Digam-me o que acham da ideia.

Há uns dias coloquei no instagram a foto do meu lanche, o famoso iogurte Skyr da Arla, que anda nos frigoríficos de toda a gente nos últimos tempos e hoje quero deixar a minha opinião um bocadito mais a fundo.


Comecemos por saber que iogurte é este. Skyr é o iogurte típico da Islândia, trazido da Noruega ainda pelos Vikings, obtido através de leite magro pasteurizado, com a consistência de queijo fresco ou requeijão com alto teor de proteínas, quase sem matéria gorda e açúcares reduzidos. Pode vir em sabor natural ou sobre uma camada de polpa de fruta de vários sabores.

Recentemente chegou-nos a alguns supermercados e depois de ver tantos comentários ao dito cujo, lá me decidi a experimentar. Como não tenho nenhum Lidl por perto ainda não experimentei os da Milbona, mas encontrei os da Arla no Continente e trouxe dois sabores diferentes, um de framboesa e um de ginja. 


O que achei sobre eles? 
Comem-se mas não fiquei fã. Gosto da consistência cremosa, que faz lembrar os agora desaparecidos Danio da Danone, no entanto achei que a fruta apesar de ser suficiente para misturar em todo o iogurte, não lhe dá sabor suficiente. Continuo a achá-lo demasiado azedo. Claro que isto pode-se resolver ao adicionar açúcar, mel, stevia, doce, o que quiserem, no entanto lá vai disparar a quantidade de calorias, que já não é assim tão baixa. No entanto, uma coisinha destas a meu ver vale por uma refeição. Depois de comer um destes iogurtes ao fim da tarde juntamente com uma barra de cereais, posso dizer que fiquei sem fome a ponto de nem jantar. Claro que isto não substitui refeições!! No entanto o erro foi meu de o comer tão tarde, isto por volta das 16h seria o ideal para me manter saciada até à noite. 


Como já referi, os iogurtes skyr começam agora a encontrar-se pelos supermercados, nomeadamente no Lidl (Milbona), Continente e Jumbo. Estes da Arla (Continente) existe o natural, de framboesa, de alperce e espinheiro, de mirtilo e de ginja. São embalagens de 150g, que contam 120 kcal e custam cerca de 1€.

Já experimentaram? O que acharam sobre eles?

sábado, 3 de junho de 2017

Como escolher o protetor solar?

Olá meus amores!

O Verão está mesmo a chegar e acho que falar na proteção solar nunca é demais. Esta deve ser usada todo ano, no entanto agora é imperativa!
O problema é que a oferta é tanta que muitas vezes nem sabemos bem o que escolher ou quais as melhores opções de acordo com a nossa pele. Hoje vou tentar dar uma ajuda sobre os protetores solares de corpo e rosto.

Corpo



Aqui a variedade é tanta que qualquer pessoa fica confusa, há centenas de marcas, imensos fatores de proteção solar (FPS), que vêm em creme, loção, spray, gel e sabe-se lá mais o quê. Quantas vezes dou por mim no supermercado, nas farmácias e até nas perfumarias a pensar “E agora o que raio é que levo?” O que Convém começar por explicar que até o protetor mais baixo, como o FPS 15 dá uma proteção contra os raios UVB de mais de 93%, os FPS 30 sobe para os 97%, os FPS 50 tem proteção de 98% e os 50+ dão 99%. Ou seja, é importante deixar claro é que não existem protetores solares que protejam a pele a 100% por isso todas aquelas recomendações importantes de horários de exposição solar, uso de roupa, chapéus, etc nunca devem ser esquecidas, mas já lá volto.

 Sendo a proteção tão idêntica, que FPS é que devemos escolher?

Tudo depende da nossa pele, no entanto a ideia é simples, quanto mais clara a pele, maior deve ser o fator de proteção, por isso podemos (e devemos) começar o verão com um fator mais elevado e diminuir depois de já estarmos devidamente bronzeados.

FPS até 15
Para peles negras ou muito bronzeadas

FPS 15 a 30
Para peles um pouco morenas (Ideal para usar no fim do verão quando já estamos bronzeados. Pessoalmente é o que uso durante o Inverno também.)

FPS 30 a 50
Para peles mais claras, com tendência a queimar facilmente ou a ganhar sardas.

FPS 50+
Para peles muito brancas e sensíveis à exposição solar.


Rosto

Ora então e em relação ao rosto? Devemos usar um protetor específico?

Uma grande parte dos protetores solares dizem que podem ser aplicados no corpo e rosto. Nesse caso porque é que devemos gastar dinheiro noutro só para essa zona? A resposta é simples, a pele do rosto é bastante mais sensível e por norma requer cuidados específicos para cada tipo. A proteção é exatamente a mesma, o que muda é mesmo a textura e aí sim, devemos mesmo adaptá-la tal como fazemos com todos os outros produtos que usamos na face.

Pele mista a oleosa
Uma boa solução para controlar a oleosidade é o uso de protetor em gel ou gel-creme, que se apresentam como oil free, matificante, sem brilho ou de toque seco.

Pele seca ou sensíveis
O truque neste caso é o contrario da anterior. Os cremes e loções e hidratantes, cremosos e nutritivos são a melhor aposta.

Pele normal
Costumo dizer que são as peles sortudas que podem usar tudo. Neste caso não há necessidade de usar gel ou cremes nutritivos, bastando o creme ou loção normal, embora possa usar também os sprays.

Posto isto, penso que a escolha ficará agora um pouco mais fácil. No entanto nunca é demais deixar aquelas regras básicas:

  • O protetor deve ser sempre aplicado cerca de meia hora antes da exposição solar.
  • Deve-se evitar sempre a hora de maior calor, entre o meio dia e as 4 da tarde.
  • Convém escolher protetores à prova de água, mesmo não estando na praia, já que resistem melhor à transpiração.
  • O protetor deve ser aplicado a cada 2 horas. Pessoalmente aplico também depois de cada ida à água, mesmo sendo à prova de água.
  • Como disse antes, a proteção não é a 100%, não se esqueçam de usar chapéu, t-shirt, óculos ou tentar arranjar locais com sombra
  • Depois da exposição solar convém usar um after sun.
  • E já agora, não tem a ver com os protetores solares, mas não se esqueçam de ir bebendo muita água nos dias de maior calor.
     
     
    E vocês? Como fazem a escolha?
    Gostam destes posts mais informativos?

terça-feira, 30 de maio de 2017

Nova gama Fructis Pure Non Stop da Garnier

Já viram a nova gama da Pure Non Stop da Fructis Garnier?
Confesso que ainda não experimentei mas assim que for ao supermercado trago um!

E porquê?
É uma nova gama à base de frutas fortificantes, que purificam o cabelo e o couro cabeludo, com uma nova fórmula sem silicone nem parabenos, ou seja, para quem tem cabelo oleoso como eu, deve ser uma alternativa interessante. E há três variedades.

Pepino Fresh – Para cabelos oleosos
Segundo a marca, o pepino é um bom hidratante do couro cabeludo.

Menta Fresh – Para cabelos oleosos com caspa. 
A partir de extrato de hortelã, tem um efeito calmante na pele irritada e sensível.

Água de Coco – Para cabelos de raiz oleosa e pontas secas
O coco além de hidratar, é rico em Ómega 6 e 9, que nutre, protege, fortalece e dá flexibilidade 

Já experimentaram algum deles?
É que a minha saga pela procura do champô ideal continua sem fim à vista. Não consigo encontrar nada que me regule a oleosidade e vejo-me obrigada a lavar a cabeça pelo menos dia sim-dia não, o que vai enfraquecendo o cabelo. Já passei em dois supermercados aqui em Aveiro mas ainda não encontrei nenhum dos champôs. Assim que experimentar dou notícias. 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Cheguei aos 30!

Olá coisas fofas!!

Eu sei que desapareci um bocado nas duas últimas semanas, no entanto, tenho um monte de boas desculpas para isso. Algumas pelos melhores motivos, outras nem por isso.

Notícia: Cheguei aos 30!!

Pois é, parece mentira, mas fiz no dia 17 de Maio 30 anos. Estou feliz com tal proeza? Nem por isso. Quem me dera voltar ao 20 e à facilidade de tudo nessa época. Era tão bom sair de casa às 8 da manhã depois de uma direta e nem sequer me preocupar com maquilhagem! Era tão bom quando o corpo acompanhava em tudo e nem sequer protestava. Agora sair sem a maquilhagem é impossível e as diretas... saem bem caro. Sim, eu disse que cheguei aos 30. Não aos 60, mas deixem-me reclamar!!!

Então o motivo o desaparecimento começará a fazer algum sentido já que resolvi fazer uma coisa que já não fazia há mais de 10 anos. Uma festa. Nada de louco, nada de extraordinário, mas convidei a família e amigos mais próximos e toca a comer. Sim, eu sei que agora que estou nos 30 não me posso dar ao luxo de comer nem metade das porcarias que terei comido nesse dia. Mas era uma festa! O meu aniversário! Xiu!


Portanto hoje venho mostrar as coisinhas boas que recebi, ou parte delas, porque ainda há gente que ache que cartões malucos com dinheiro é original (Sim, certas criaturinhas da minha família, isto é para vocês!! Obrigada à mesma, porque dá sempre jeito!!! ;) ).









E vocês, como costumam festejar os vossos aniversários?
A idade é coisa que vos preocupa?