sábado, 7 de janeiro de 2017

Receita: A minha Mistela de Chocolate

Olá!!
Depois de muito ponderar sobre este post lá me decidi a partilhá-lo convosco. Trata-se de uma receita de creme de chocolate com pêssego que eu praticamente inventei (não sei se já existia mas pelo menos nunca vi) e à qual costumo chamar carinhosamente A Minha Mistela de Chocolate.


Ok, para todos aqueles que não me conhecem, ou seja, quase todos, convém começar por explicar que os meus dotes culinários são altamente limitados e quando se fala em sobremesas por norma resumem-se a 3 coisas: ir comprá-las a algum sitio, pedir/subornar alguém para que as faça ou comprar daquelas sobremesas instantâneas e usar o truque de as decorar bastante para parecer algo fenomenal (ok, já ninguém por aqui cai nessa, mas eu tento!) A minha especialidade são aqueles bolos de chocolate da Milka que já vêm quase todos feitos e é só juntar ovos, manteiga e meter para o forno. Ora imagine-se a surpresa quando há uns anos atrás está esta alminha aqui a ver um programa de culinária da Sophie Dahl. E a senhora lembra-se de fazer esta receita


Estou eu a olhar para a televisão e a pensar “Isto é muito fácil. Até eu podia fazer isto! É isso! Eu vou experimentar esta sobremesa!”. Claro que dez segundos depois lembrei-me que o chocolate preto para sobremesas é... pouco doce. E não estávamos na altura das cerejas. E eu nem sou grande fã de brandy. Ora que solução dar a isto??? “Vou mudar a receita toda!”

E do alto da minha genialidade culinária até então inexistente saiu esta maravilha de receita (depois de infinitas tentativas mal sucedidas de conjugação de ingredientes, erros de dosagem e plena falta de conhecimentos e jeito para a coisa) que passo agora a partilhar com o resto do mundo:


Ingredientes:

½ Tablete de chocolate de Leite
½ Tablete de chocolate de culinária (também já usei chocolate negro e funcionou muito bem)
2 gemas de ovo
1 pacote de natas
3 ou 4 metades de pêssego em calda
1 colher de sopa de açúcar amarelo (facultativo)
5/6 colheres de sopa de vinho do Porto

Preparação:


Numa frigideira coloca-se o pêssego partido aos pedacinhos. Se as metade forem grandes são 3, se forem pequenas são 4, junta-se a mesma quantidade de colheres de sopa da calda de pêssego e de vinho do porto. Podem juntar o açúcar amarelo, mas a receita não perde nada sem ele, fica ao gosto de cada um. Deixar cozer em lume brando até o molho desaparecer. Então deixa-se arrefecer e junta-se mais 2 colheres de vinho do Porto. 


Noutro tacho derrete-se ambos os chocolates e junta-se as natas, sempre a mexer bem até ficar uniforme e retira-se do lume para arrefecer durante uns minutos. Quando estiver morno junta-se as 2 gemas e vai ao lume mais um minuto ou dois sem parar de mexer até retirar. 


Enquanto arrefece coloca-se o pêssego numa taça (ou pode-se dividir por várias individuais) e junta-se o chocolate. Colocar no frigorífico apenas quando estiver frio e deixar umas 3 ou 4 horas até solidificar bem. Convém manter frio até servir.
Como é que fica? Qual é a consistência? Pensem numa espécie de Nutella, daí eu brincar com o nome e chamar-lhe mistela. Nada tem a ver com a bebida e sim porque foi uma coisa inventada por quem não tem jeito nenhum para doces. 

Não me perguntem a quantidade de calorias que isto tem, porque eu prefiro nem pensar no assunto mas deve ser uma bomba. Por isso nada de abusar, eu só a faço em épocas festivas e agora que a receita passou anos a ser melhorada até já há quem aceite uma colher ou duas da minha mistela. E continuam vivos! Este Natal foi uma das sobremesas que servi e mais uma vez fez sucesso entre a mãe e os tios.

Que acham? Atrevem-se a experimentar?
E já agora, também costumam inventar na cozinha ou alterar receitas a ponto de sair algo totalmente diferente do original?

domingo, 1 de janeiro de 2017

Reviewer Convidado: Inês

Olá meus amores! 

E antes de mais: Feliz Ano Novo! 
Desejo mesmo que o ano de 2017 seja em grande para todos.
Eu sei que tenho andado completamente desaparecida, mas esta quadra é uma enorme correria entre almoços e jantares de família, regresso de amigos, visitas... o tempo para o blog tem sido pouco. Além disso resolvi recomeçar um projeto profissional que estava em standby há mais de 2 anos e tem consumido cada bocadinho que era suposto estar livre. Mas agora que passa a época das festas, as coisas devem normalizar e já me vou conseguir dedicar mais ao blog.

Hoje além de ser o primeiro dia do ano, é no fundo o primeiro fim de semana e por isso temos a rubrica do Reviewer Convidado. Portanto começamos o ano com a Inês do blog O diário da Inês. Se ainda não conhecem recomendo vivamente que vão lá espreitar, tem sempre receitas tão boas! Ou então mostra-nos locais diferentes e restaurantes que me deixam sempre de água na boca. Desta vez a Inês saiu da sua zona de conforto e vêm-nos falar dos produtos Hamamélis da Yves Rocher.



"Tenho que começar por dizer o quão surpreendida mas ao mesmo tempo o feliz que fiquei quando a Lilium me convidou para ser a sua Reviewer Convidada. Fiquei um pouco atordoada a pensar sobre o que iria escrever, mas não podia negar esta honra e por isso aqui estou para vos fazer esta review!
Por norma as minhas reviews são sobre comida e restaurantes mas resolvi sair um pouco da minha zona de conforto e falar sobre produtos de beleza. Já fui vendedora da Yves Rocher e de todos os produtos que experimentei nunca houve nenhum que eu não gostasse. Hoje em dia já não vendo, mas ocasionalmente faço encomendas de produtos para mim e para oferecer. Uma gama de produtos que continuo a comprar e da qual vos venho falar é a Hamamélis. Neste caso do creme para o corpo e do gel de banho.
 
 
Ambos vêm em frascos de fácil utilização e que quando voltados de cabeça para baixo nos permitem usar tudo mesmo até à última gota. Em termos de preço também são ambos bastante acessíveis. O preço do creme para o corpo, 300 ml, e do gel de banho, 500 ml, é 6.65€, só que ambos vêm sempre em promoção acabando por ser muito mais baratos. Isto faz com que sejam produtos bem acessíveis.
Quanto ao creme, este tem uma cor branca, textura suave, sendo muito fácil de espalhar. Deixa a pele muito bem hidratada e durante bastante tempo. Tem um cheiro suave o que não inviabiliza o uso de perfume. É que há cremes com cheiros tão fortes que se colocarmos perfume fica uma mistura de cheiros bem estranha.
 
 
 
O gel de banho é de cor translúcida, também com uma textura e cheiro suaves. Faz bastante espuma e rende bastante. 
Por isso são dois produtos que recomendo e que acho que nunca ninguém teve más experiências com eles."
 
 
Não poderia terminar sem agradecer mais uma vez à Inês que teve um trabalho ainda maior, já que normalmente não escreve sobre produtos de beleza e ainda assim, aceitou o desafio sem hesitar. Não se esqueçam de passar pelo cantinho dela, que é sempre delicioso. Basta seguirem o link.
 
E que acharam da review? Continuam a gostar desta rubrica? Querem que a mantenha em 2017?